252 624 626

Horário

Segunda a Sábado

9:30h às 13:00h
14:30h às 19:30h

Um controlo regular de certos fatores pode evitar o agravamento ou mesmo o aparecimento de determinadas doenças; por isso, aconselhamos os nossos utentes a virem regularmente medir os parâmetros de risco.

Determinação de Glicémia

Entende-se por Glicémia a quantidade de açúcar (glicose) no sangue. As medições deste parâmetro são importantes na detecção e prevenção da hiperglicemia (niveis excessivos de açúcar no sangue) e da hipoglicemia (niveis de açúcar no sangue abaixo do normal).

A Diabetes Mellitus é uma doença metabólica, caracterizada pelo excesso de açúcar no sangue. Este excesso pode dever-se ao facto do organismo não produzir ou não ser capaz de utilizar a insulina que é a hormona responsável por transportar a glicose do sangue para as células.
Os valores de Glicémia permitem também fazer um controlo e diagnóstico da Diabetes Mellitus e prevenir complicações crónicas a ela associadas, ao nível dos rins, da visão, do sistema cardiovascular e do sistema nervoso.

O teste é simples e praticamente indolor, sendo realizado com uma pequena amostra de sangue (gota) retirada do dedo, após uma leve picada, na qual é medida a quantidade de glicose em miligramas por decilitro de sangue (mg/ dl).
O teste deve ser realizado em jejum ou duas horas após refeição.

Valores de Referência:

Em jejum:

  • <70mg/dl - Hipoglicémia
  • 70-109mg/dl - Normal
  • 110-125mg/dl - Anomalia em jejum
  • > 126mg/dl - Hiperglicémia

Após refeições:

  • <140mg/dl – Normal

Determinação de Triglicerídeos

As duas principais substâncias gordas presentes no sangue são o colesterol e os triglicerídeos.
Triglicerídeos são lípidos provenientes essencialmente da alimentação (gorduras, doces e álcool), sendo que a sua medição é fundamental como forma de controlo e identificação precoce de indivíduos com risco de doenças cardiovasculares e no despiste da dislipidémia (valores elevados de colesterol e triglicerídeos no sangue).

O teste é simples e praticamente indolor, sendo realizado com uma pequena amostra de sangue (gota) retirada do dedo, após uma leve picada, do qual é medida a quantidade de triglicerídeos em miligramas por decilitro de sangue (mg/dl).
O teste deve ser realizado com 12 horas de jejum.

Valores de Referência:

  • <150mg/ml - Normal

Determinação de Colesterol

As duas principais substâncias gordas presentes no sangue são o colesterol e os triglicerídeos.
O colesterol é uma gordura ou lípido que existe no sangue e em todas as células do organismo; é necessário para a produção de hormonas, vitaminas, constituição da membrana das células, funcionamento do sistema nervoso e formação de bílis.
Cerca de 80% do colesterol que temos no organismo é fabricado pelo fígado, sendo que a outra parte vem de alimentos como manteiga, natas, queijo, carne gorda, gema de ovo, fritos, entre outros.
O colesterol é transportado no sangue por lipoproteínas (gordura e proteína) sendo as principais a LDL e a HDL.
As lipoproteínas LDL transportam o colesterol do fígado para outros locais do organismo; são conhecidas por “mau colesterol” porque depositam o colesterol nas artérias podendo levar à formação de placas de aterosclerose.
As lipoproteínas HDL, por sua vez transportam o excesso de colesterol do organismo para o fígado para ser novamente processado; são assim conhecidas por “bom colesterol”, porque permitem a eliminação do colesterol em excesso nas artérias.
Os níveis de Colesterol são importantes como medida de controlo e identificação precoce de indivíduos com risco de doença cardiovascular.

O teste é realizado através de uma pequena amostra de sangue retirada por picada quase indolor, na qual é medido o Colesterol Total (em miligramas de colesterol por decilitro de sangue).

O teste permite saber o Colesterol Total, no qual se inclui:

  • Colesterol HDL (colesterol "bom")
  • Colesterol LDL (colesterol "mau")

Valores de Referência:

  • Colesterol total: <190 mg/dl - Normal

Medição da Pressão Arterial

A hipertensão arterial é a doença cardiovascular que afecta o maior número de pessoas a nível mundial e geralmente não apresenta sintomas a não ser em fases muito avançadas da doença. Daí que se aconselhe uma medição regular de forma a controlar os seus valores.
A medição da Pressão Arterial é fundamental para controlo de indivíduos com hipertensão ou indivíduos propensos à hipertensão e a problemas cardiovasculares associados.
A pressão arterial é a força que o sangue exerce sobre a parede interna das artérias durante a sua circulação pelo organismo.
Essa circulação não se faz de forma contínua mas sim por impulsos que correspondem aos batimentos cardíacos.
Quando o coração se contrai, o sangue nele contido é impelido para a circulação geral, ocorrendo nesse momento uma pressão mais elevada dentro das artérias e que corresponde à pressão máxima ou sistólica (PAS). Quando o coração se dilata, permitindo a entrada de mais sangue no seu interior, a pressão baixa e os seus valores correspondem à pressão mínima ou diastólica (PAD).

A pressão arterial pode ser medida utilizando um esfingmomanómetro ou um aparelho automático de braço ou de pulso. Na Farmácia Central é utilizado um aparelho automático de braço.

Para que se faça uma medição correcta, o utente deve estar relaxado e confortavelmente sentado com as costas direitas e encostadas na cadeira e o braço apoiado no aparelho.

Valores de Referência:

  • 120 a 129 (PAS) | 80 a 94 (PAD) - Normal
  • 130 a 139 (PAS) | 85 a 89 (PAD) - Normal alto
  • 140 a 159 (PAS) | 90 a 99 (PAD) - Hipertensão I
  • > 160 (PAS) | > 100 (PAD) - Hipertensão II

Determinação do Peso, Altura e IMC (Índice de Massa Corporal)

A obesidade é um problema de saúde e não apenas um problema estético; é uma doença crónica que constitui um importante factor de risco para o aparecimento, desenvolvimento e agravamento de outras doenças. Associa- se a um grande número de co-morbilidades, assim como a uma redução da esperança de vida, pelo que merece toda a atenção dos profissionais de saúde. A Organização Mundial de Saúde (OMS) considerou esta doença como a epidemia global do século XXI.
Assim sendo, faz todo o sentido que haja um controlo regular do peso, de forma a evitar novos casos de obesidade em Portugal.
O processo mais utilizado para determinar o excesso de peso é o cálculo do IMC (Índice de Massa Corporal). Com base na altura e no peso, calcula-se rapidamente o valor de IMC tendo em conta a seguinte fórmula:

IMC = Peso (kg) / altura2 (m)

Valores de Referência:

  • < 18,5 – baixo peso
  • 18,5 – 24,9 – peso ideal
  • 25,0 – 29,9 – excesso de peso
  • 30,0 – 34,9 – obesidade grau I
  • 35,0 – 39,9 – obesidade grau II
  • ≥ 40,0 – obesidade grau III

Nota: o cálculo do IMC não é válido para desportistas e mulheres grávidas